4 comentários:
De h a 30 de Maio de 2008 às 12:31
Ricardo, é um tema muito interessante! Infelizmente pouco divulgado em Portugal! Pessoalmente, tenho ainda algum cepticismo, porquanto sempre sustentei que o caminho para o e-learnig devia passar por desenvolver mecanismos de complementaridade do ensino tradicional e as novas tecnologias!


De Ricardo Cataluna a 31 de Maio de 2008 às 11:48
@h:

Já existe um formato com essa complementaridade que é o b-learning. O e-learning é vocacionado para pessoas sem disponibilidade para a formação presencial. Trata-se, de facto, algo recente em Portugal. O EVOLUI só existe há pouco mais de 7 anos. Já trabalho com eles há cerca de dois anos e as coisas têm corrido bem! Esse cepticismo é compreensível mas tenderá a desaparecer com o tempo. São cada vez mais as pessoas que aderem a este tipo de formação (incluindo empresas e outras instituições) com resultados bem positivos. O futuro, indiscutivelmente, passa por aqui.


De h a 31 de Maio de 2008 às 15:13
Ricardo, desde há uns quatro ou cinco anos que estou ligado a uma plataforma Europeia (que agora se estende à América do Sul) que trata das questões do ensino e novas tecnologias! In casu, uma rede de juristas, denominada Lefis!
E sempre fui céptico com os e- e b- que vão inventando! Sou apologista de começar um caminho que poderá terminar no e-learnig, mas, tudo o que fui conhecendo, ainda é insípido! Reitero o que desde há muito vou defendendo: vamos combinar primeiro o tradicional com as novas tecnologias e dar depois o segundo passo!!


De Ricardo Cataluna a 1 de Junho de 2008 às 14:57
Caro H, isto dá uma discussão infindável e interessante. A ver se concretizamos essa discussão pessoalmente, um dia destes!


Comentar post