Sábado, 2 de Fevereiro de 2008
Que ingratos que nós somos, pá...
Em Portugal lida-se muito mal com a morte e com as mudanças políticas, usando, com grande desfaçatez, a falta de memória e a hipocrisia. Quando alguém morre, coitadinho/a, ele/ela até era boa pessoa, apesar de ser um/uma crápula.
Quando sai um/a ministro/a, coitado/a, ele/ela até não era mau/má, se não fez mais é porque não o/a deixaram. Afinal, Correia de Campos, pela boca dos mesmos iluminados que exigiam a sua cabeça, foi o melhor ministro da Saúde que Portugal teve desde o Paleolítico Inferior. Nós é que não nos apercebemos.

tags:

publicado por Ricardo Cataluna às 00:18
link do post | comentar | favorito

4 comentários:
De RCataluna a 5 de Fevereiro de 2008 às 22:57
jocasipe:

:)))))


De jocasipe a 3 de Fevereiro de 2008 às 22:41
Lagarto, lagarto, lagarto! Vai de recto satanás!


De RCataluna a 2 de Fevereiro de 2008 às 00:37
@zig:

Já estou cansado de nos quererem tomar por parvos!!


De Zig a 2 de Fevereiro de 2008 às 00:33
No caso dos ministros compreende-se, é para não os fazer sentir mal. E sabes que mais: Eles são aconselhados a não ouvir rádio, não ler jornais e não ver TV por uns dias até as coisas acalmarem. Agora, no caso do regicídio, não havia necessidade!


Comentar post

Contacto
Mail
O meu perfil
pesquisar
 
Posts Recentes

Ponto final

Vindo de quem vem, é supo...

Guia de resgate

Este vai longe...

Fim do terror (?)

Dose Dupla:Soundgarden/Ni...

Blog novo

Espírito de Exigência

Em exibição

Dose Dupla: R.E.M (Mais v...

Arquivos
tags

todas as tags

Favoritos

A Inquisição voltou. Nós ...

Links
subscrever feeds