Sábado, 22 de Setembro de 2007
Subscrevo!
O problema das dezenas de milhares de candidatos a professores que não obtiveram emprego, não é, como é óbvio, um problema só do Ministério da Educação. Também o é em parte, mas como diz e bem a ministra é um problema de desemprego mais global do país. E tem acrescentado, com uma rara frontalidade, que não se prevê tão cedo que esses licenciados possam obter emprego com as qualificações que tem. Os 40000 rejeitados da educação são apenas a face mais visível do desemprego de jovens qualificados, que apenas uma minoria supera e uma minoria da minoria resolve indo para fora de Portugal.
Ora, no mesmo momento em que o Governo diz às pessoas no seu programa das Novas Oportunidades que se “tivesses estudado não serias balconista mas locutora de televisão”, tem que admitir que muitos que estudaram para serem professores, engenheiros, advogados, psicólogos, sociólogos e outras profissões, que implicam esse mesmo “estudos” e qualificações que se propagandeiam nas “Novas Oportunidades”, acabem por ser balconistas, na melhor das hipóteses, quando não desempregados. Uma mão dá, outra mão tira.
Pacheco Pereira in Abrupto

tags:

publicado por Ricardo Cataluna às 17:20
link do post | comentar | favorito

6 comentários:
De RCataluna a 30 de Setembro de 2007 às 20:52
trequita:

Fizeste muito bem em emigrar! Portugal está a voltar a ser um país de emigrantes.

Também tenho colegas que têm muita dificuldades em arranjar emprego. É dramático!

Boa semana!


De Trequita a 29 de Setembro de 2007 às 00:49
Pessoalmente a �nica forma que encontrei para ter um emprego fixo foi imigrar para a Madeira... t�o cedo n�o regresso! de todos os meus colegas de curso, para al�m de mim apenas 5 consegiram trabalhar nestes �ltimos anos...
Tenho at� uma colega que tem tido muitas dificuldades em trabalhar j� que as empresas empregadoras lhe dizem que ela tem habilita�es a mais!


De RCataluna a 24 de Setembro de 2007 às 22:43
@jocasipe:

É verdade que nem todos podem ser doutores ou engenheiros. Mas é desonesto apregoar a qualificação das pessoas e não conseguir dar resposta aos anos de estudo que muitos tiveram. Existe má orientação educacional, sem dúvida, mas também existe má orientação política.


De jocasipe a 24 de Setembro de 2007 às 22:26
Má arientação educacional, parece-me.


De RCataluna a 23 de Setembro de 2007 às 16:01
@zig:

Também é verdade. Creio que começamos a apostar mais nas profissões técnicas. Todavia, é contraproducente falar em mais qualificações para os portugueses quando há cada vez mais licenciados desempregados.

Abraço!


De Zig a 23 de Setembro de 2007 às 11:05
Por outro lado, se alguém necessita de obras em casa, não se encontra gente que os faça, tanto a tempo e horas, como qualitativamente. Parece que estamos num país de doctores e engenheiros....


Comentar post

Contacto
Mail
O meu perfil
pesquisar
 
Posts Recentes

Ponto final

Vindo de quem vem, é supo...

Guia de resgate

Este vai longe...

Fim do terror (?)

Dose Dupla:Soundgarden/Ni...

Blog novo

Espírito de Exigência

Em exibição

Dose Dupla: R.E.M (Mais v...

Arquivos
tags

todas as tags

Favoritos

A Inquisição voltou. Nós ...

Links
subscrever feeds