Domingo, 20 de Abril de 2008
Palavras soltas
Contava os derradeiros segundos
com a precisão de um relojoeiro em ascensão.
Alinhou os ponteiros
coordenou os mundos
libertou a mente
à boleia da livre criação.

De todos os recantos da razão,
escolhia os mais moribundos
na certeza de que alguém o recolhia
e por ali ficava.
Em expansão.

Ao critério de todos.
Da gente.

O Bom Gigante

tags:

publicado por Ricardo Cataluna às 01:27
link do post | comentar | favorito

6 comentários:
De RCataluna a 22 de Abril de 2008 às 19:45
@zig:

xiiiii.... não exageres, não é nada de especial! Mas seja como for, agradeço as tuas simpáticas palavras!

Abraço!

@daplanicie:

Muito obrigado! Já algum tempo que não escrevia. Soube bem!

Cumprimentos


De daplanicie a 22 de Abril de 2008 às 14:49
Gostei muito do teu poema. Um registo diferente do que me habituei a encontrar por aqui mas não menos agradável...antes pelo contrário. Temos poeta!!


De Zig a 22 de Abril de 2008 às 00:54
São palavras tuas? Uau, vendo isso terei ainda um looooongo caminho a percorrer!


De RCataluna a 21 de Abril de 2008 às 19:37
@noctivaga e @joão espinho:

Muito obrigado:))


De João Espinho a 21 de Abril de 2008 às 10:43
Gostei!


De noctivaga a 21 de Abril de 2008 às 02:23
bonitas que são estas palavras soltas.


Comentar post

Contacto
Mail
O meu perfil
pesquisar
 
Posts Recentes

Ponto final

Vindo de quem vem, é supo...

Guia de resgate

Este vai longe...

Fim do terror (?)

Dose Dupla:Soundgarden/Ni...

Blog novo

Espírito de Exigência

Em exibição

Dose Dupla: R.E.M (Mais v...

Arquivos
tags

todas as tags

Favoritos

A Inquisição voltou. Nós ...

Links
subscrever feeds