Domingo, 9 de Março de 2008
Zapatero ganha eleições sem maioria absoluta

Foto: AP

O Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE) ganhou as eleições legislativas celebradas no domingo em Espanha. Com 81% dos votos contados, os socialistas garantiram 167 lugares no Congreso dos Deputados, contra 155 da formação política rival, o Partido Popular (PP). A maioria absoluta está fixada em 176 deputados, de um total de 350.

Numa primeira análise destes resultados, a constatação mais significativa é que os dois partidos maioritários surgem diante da opinião pública com motivos de sobra para se sentirem satisfeitos. Os socialistas, porque revalidam nas urnas o seu mandato para governar, depois de uma legislatura cheia de crispação e de dificuldades. Os populares, porque conseguem aumentar os resultados de 2004, tanto em número de votos como de lugares, o que parece afugentar a possibilidade de uma crise interna que ameaçaria a liderança de Mariano Rajoy.

De acordo com os dados oficiais disponibilizados às 22.30 horas (hora espanhola), o PSOE ganha três lugares comparativamente há quatro anos (164) e o PP sete (148 em 2004). A diferença entre os dois partidos, a confirmarem-se estes resultados no final da recontagem ficaria estabelecida em 12 lugares, menos quatro do que na legislatura anterior. O líder do PSOE, José Luis Rodríguez Zapatero, necessitará novamente de chegar a acordos de legislatura com outros partidos, provavelmente com os nacionalistas catalães, para poder formar um governo sólido.

Outra das lições imediatas destes resultados é a confirmação da tendência clara para o bipartidarismo no sistema político espanhol. Os dez lugares que ganharam os dois principais partidos em relação a 2004 vieram de perdas sofridas pelos partidos pequenos. Essas perdas ocorreram, sobretudo, em partidos nacionalistas como a Esquerda Republicana da Catalunha, que até agora perdeu cinco deputados, e da coligação que agrupa o Partido Comunista de Espanha, a Izquierda Unida (IU), que perdeu dois lugares em relação às eleições anteriores. O novo partido Unión, Progreso y Democracia (UPyD), liderado por uma recente dissidente do PSOE, Rosa Díez, deverá conseguir entrar no Congresso dos Deputados.

Na Andaluzia, onde também se realizaram eleições autonómicas, os socialistas voltaram a ganhar por maioria absoluta. O actual presidente Manuel Chaves encaminha-se, assim, para um quinto mandato consecutivo.

A taxa de participação foi de 74% num universo potencial de 35 milhões e meio de eleitores.

Fonte: Expresso

Para saber os resultados actualizados, clique aqui.


tags:

publicado por Ricardo Cataluna às 22:57
link do post | comentar | favorito

2 comentários:
De Anónimo a 10 de Março de 2008 às 14:24
Y Doña Elvira Fernández, Gran Señora, Galleguiña Dulce y Melosa, gana el corazón de las españolas.......


De Anónimo a 10 de Março de 2008 às 01:06
Gran éxito de la UPyD de Rosa Díez.


Comentar post

Contacto
Mail
O meu perfil
pesquisar
 
Posts Recentes

Ponto final

Vindo de quem vem, é supo...

Guia de resgate

Este vai longe...

Fim do terror (?)

Dose Dupla:Soundgarden/Ni...

Blog novo

Espírito de Exigência

Em exibição

Dose Dupla: R.E.M (Mais v...

Arquivos
tags

todas as tags

Favoritos

A Inquisição voltou. Nós ...

Links
subscrever feeds