Terça-feira, 10 de Fevereiro de 2009
Coragem!

Façamos de conta que o director do Sol não declarou que teve pressões e ameaças de represálias económicas se publicasse reportagens sobre o Freeport. Façamos de conta que o ministro da Presidência Pedro Silva Pereira não me telefonou a tentar saber por "onde é que eu ia começar" a entrevista que lhe fiz sobre o Freeport e não me voltou a telefonar pouco antes da entrevista a dizer que queria ser tratado por ministro e sem confianças de natureza pessoal.

Mário Crespo no JN

 

Via Delito de Opinião 


tags:

publicado por Ricardo Cataluna às 20:47
link do post | comentar | favorito

4 comentários:
De h - V&P a 11 de Fevereiro de 2009 às 10:08
Gosto muito de Mário Crespo. E mais que uma vez fiz referência a textos seus que têm sido excepcionais. Mas esta referência a uma conversa privada é lamentável e deontologicamente inaceitável. Mas...vamos fazer de conta que não a escreveu!


De Ricardo Cataluna a 11 de Fevereiro de 2009 às 14:07
Concordo com isso. Apenas destaquei este texto porque, como já escrevi aqui, este governo não se coíbe de querer controlar os Media. E tem havido da parte destes uma subserviência pouco habitual e nada saudável. Nessa medida, este artigo de MC é uma pedrada no charco, apesar de não justificar a divulgação de uma conversa privada. Acho que conseguimos perdoar o MC:)


De Bruno - Planetas a 11 de Fevereiro de 2009 às 17:02
Meu Caro Ricardo, a tentação de controlar os Media não é característica apenas deste Governo, é um desejo de todos os que estão no poder, seja ele politico, económico ou ate religioso.
A respeito do artigo de MC (que também transcrevi no meu blog);

"Mário Crespo foi feliz ao conseguir agregar num único texto um sem fim de questões que, por variadíssimas razões, não foram ainda devidamente esclarecidas para o comum dos mortais, seja pela sua natureza, complexidade ou mesmo porque simplesmente não tem resposta porque partem de falsas premissas. Contudo, há uma delas que me desperta especial interesse, a pretensa conversa telefónica do ministro (cargo referido minusculamente pelo autor) da Presidência Pedro Silva Pereira. Ora vejamos, assumindo que os factos são fiáveis, vou ser atrevidote e pedir emprestado o estilo de Mário Crespo para dizer o seguinte:
Façamos de conta que Silva Pereira foi sempre um entrevistado fácil e complacente com Mário Crespo e que a entrevista sobre o Freeport lhe correu de feição. Façamos de conta que o teor das conversas no âmbito do exercício do jornalismo não são tendencialmente confidenciais e que não é normal que um Ministro queira ser tratado sem confianças pessoais. Façamos de conta que Mário Crespo divulgou o teor do telefonema com Ministro logo no inicio da entrevista, enfim, façamos de conta que Mário Crespo acredita em tudo aquilo que escreve nesta peça e façamos de conta de que ele não desejaria que todas as "suspeitas" que pairam sobre este Governo fossem confirmadas, de preferência num qualquer canal da concorrência pelas 9:00PM. "
Abraço


De Ricardo Cataluna a 11 de Fevereiro de 2009 às 17:22
Caro Bruno, tens toda a razão. O PSD também usou e abusou disto. Contudo, não me lembro de uma passividade tão clara em relação a um governo. Nesse medida, e concordo com o teu post que tem toda a lógica, este artigo de MC foi uma pedrada no charco.

E a Raquel Abecassis também meteu a boca no trombone:

http://www.rr.pt/InformacaoDetalhe.aspx?AreaId=11&SubAreaId=104&ContentId=275428

Abraço!


Comentar post

Contacto
Mail
O meu perfil
pesquisar
 
Posts Recentes

Ponto final

Vindo de quem vem, é supo...

Guia de resgate

Este vai longe...

Fim do terror (?)

Dose Dupla:Soundgarden/Ni...

Blog novo

Espírito de Exigência

Em exibição

Dose Dupla: R.E.M (Mais v...

Arquivos
tags

todas as tags

Favoritos

A Inquisição voltou. Nós ...

Links
subscrever feeds