Sexta-feira, 1 de Setembro de 2006
3 notas soltas
1 - No dia de hoje surgiu uma notícia curiosa: o governo pretende diminuir a velocidade máxima nas auto-estradas de 120 para 118 km/h, com o objectico de ajudar Portugal a cumprir o protocolo de Quioto e melhorar o ambiente. Umas sugestões: preocupem-se em fazer cumprir os 120km/h, já era uma grande ajuda; querem ajudar o meio ambiente? para quando uma aposta, a sério no GPL?; temos o parque automóvel mais velho da Europa. Para quando uma revisão do imposto automóvel, beneficiando os automóveis menos poluentes, em particular os híbridos?
Esta medida é mesmo à PS: lançam o isco; a comunicação social vai a correr e "morde-o"; o governo dá a sensação que faz alguma coisa; discutem-se coisas que acabam por cair no esquecimento dias mais tarde; desviam-se as atenções do que é realmente importante. Chama-se a isto tomar decisões para ficar tudo na mesma.</dd>
2 - Na edição de hoje do Correio de Alentejo é aflorada uma situação que provocou incómodo nas hostes comunistas: o vereador Francisco Caixinha afirmou que a Câmara de Beja tinha a imagem de "mau pagador" (dívidas a fornecedores), declaração que caíu mal em elementos do anterior executivo - isto é bem revelador de um certo estilo que o executivo bejense pratica e que já se preconizava na campanha eleitoral: truculento, agressivo e muito ao estilo "a culpa é sempre dos outros".
Contudo, a declaração que mais me intrigou foi esta: "Não admitimos que seja a própria autarquia a criar dificuldades económicas às empresas do nosso concelho" - esta frase é bem reveladora do modo como este executivo vê a economia da região. A Câmara acaba por ser o motor da economia regional, com empresas excessivamente dependentes dela, em vez de criar condições para o aparecimeto de novas empresas, criação de postos de trabalho, etc... Enquanto tivermos autarcas a pensar assim...</dd>
3 - A pior coisa que se pode colocar numa sala de espera é uma televisão. Já não bastava uma colecção de revistas de 1989! Tenho uma teoria: em todas as salas de espera existe uma pessoa que comenta tudo o que aparece na TV. Pela minha experiência existem três categorias: os comentadores-óbvios, que só falam do que é óbvio - por exemplo, se está a começar o Telejornal, ele diz "Olha! Vai começar o Telejornal!" coisa que toda a gente já percebeu; Os comentadores-estúpidos, que só fazem comentários ... estúpidos - por exemplo, aparece o José Rodrigues dos Santos e ele diz: "Este gajo é tal e qual o Álvaro Cunhal"; por último existem os comentadores-pfff-nem-vale a pena... fazem as maiores confusões e dizem os maiores dislates - por exemplo, "Este rapaz não era filho da Floribella e do Noddy e não entrava nos Morangos com Açucar mascavado? Ou seria nos Melões com Presunto?


publicado por Ricardo Cataluna às 23:04
link do post | comentar | favorito

7 comentários:
De RCataluna a 4 de Setembro de 2006 às 22:32
Pois... também é verdade...
Boa semana!


De ao_sul a 4 de Setembro de 2006 às 09:59
Mas esses comentadores existem para além das salas de espera: isso é que é mau! ;)


De RCataluna a 3 de Setembro de 2006 às 23:36
Zig:

Medidas da treta!

Não duvido que o vereador Caixinha seja boa pessoa. O que critico tem a ver com um estilo inapropriado, na minha opinião, e um modo de ver o concelho que não é nada benéfico para o mesmo.

Apanhei a TV numa sala de espera no hospital mas, pela minha experiência, o local é indiferente!
Abraço e boa semana!

Nikonmam:

Espero que os problemas no weblog já tenham sido debelados e aguardo, com muito interesse, a sua posição sobre a matéria.
Abraço e boa semana!

Paulo Sempre:

Não tens que agradecer! Estás à vontade para aceitar, ou não, o desafio.
Abraço e boa semana!

Raposa Velha:

Antes de mais mutio obrigado pela visita. Assim que tiver mais tempo visitarei o seu blog.
Exactamente! E entretanto perdemos alguns dias a discutir uma coisa que daqui a alhumas semana já ninguém se lembra.
Abraço e boa semana!


De Raposa Velha a 2 de Setembro de 2006 às 21:43
Parece que foi um caso de mau jornalismo, pois o objectivo aparenta ser a redução da velocidade média em 2km/h. Não deixa de ser uma medida demagógica, no entanto.

Meio a brincar e meio a sério: 118, nº nacional da diarreia mental :D (http://fliscorno.blogspot.com/2006/09/118.html)


De Paulo Sempre a 2 de Setembro de 2006 às 02:39
Quando em 1981 acabara de nascer na Pax Julia (Beja) e ainda mal abria os olhos, vi logo que pasava a ser natural da frequesia de Santa Maria - Beja...(no fim do mundo....).Agora não sei se ainda vou fugir a tempo...
Bom fim de semana
Paulo

PS: Obrigado pelas etiquetas..


De nikonman a 2 de Setembro de 2006 às 02:08
Sobre o 2., vai sair durante os próximos dias um comentário lá na Praça. Estava preparado, mas com o weblog em baixo, atrasou-se tudo.


De Zig a 2 de Setembro de 2006 às 00:40
De 120 para 118? Alguém vai notar a diferença? É apenas uma conta no papel, mais nada.

Por acaso, o vereador caixinha é uma pessoa digna, faço questão em chamá-lo de meu amigo. Mas pronto, se o resto à volta dele não funciona bem....

Não me digas que apanhaste na Caixa Geral de Depósitos uma TV na sala de espera (lol)?


Comentar post

Contacto
Mail
O meu perfil
pesquisar
 
Posts Recentes

Ponto final

Vindo de quem vem, é supo...

Guia de resgate

Este vai longe...

Fim do terror (?)

Dose Dupla:Soundgarden/Ni...

Blog novo

Espírito de Exigência

Em exibição

Dose Dupla: R.E.M (Mais v...

Arquivos
tags

todas as tags

Favoritos

A Inquisição voltou. Nós ...

Links
subscrever feeds